Bolsonaro nega uso de emendas para obter apoio à Previdência

O presidente Jair Bolsonaro negou nesta terça-feira (12) estar usando a liberação de recursos via emendas parlamentares para negociar apoio de congressistas à reforma da Previdência.

Na segunda-feira (11), o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que o Executivo liberará cerca de R$ 1 bilhão em emendas no Congresso a partir da próxima semana. São aproximadamente R$ 700 milhões em emendas individuais e cerca de R$ 300 milhões das bancadas estaduais.


Segundo o deputado, o montante faz parte de um total de R$ 3 bilhões em emendas impositivas –ou seja, que ainda têm de ser pagas– empenhadas de 2014 até o fim de 2018 e até agora em aberto. O restante pode ser liberado ainda este ano. À Folha de S. Paulo, o Major Vitor Hugo disse que também havia um estoque de emendas impositivas ainda não pagas –“umas porque não tinha dinheiro naquele momento, outras porque não estavam com o processo pronto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *