Maioria se opõe a plano de Bolsonaro para o trânsito, diz Datafolha

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (15), mostra que a maioria da população reprova as medidas do projeto de lei do presidente Jair Bolsonaro que afrouxa a fiscalização de trânsito.

O levantamento mostra que 56% são contra dobrar o número de pontos (de 20 para 40) na carteira que levam à suspensão do direito de dirigir, 68% são contra o fim da exigência de cadeirinha para crianças nos veículos e 67% são contra acabar com os radares que fiscalizam o excesso de velocidade nas estradas federais.


Segundo o Datafolha, as medidas também são rechaçadas por parte dos eleitores de Bolsonaro. O fim da multa para transporte de crianças sem cadeirinha, por exemplo, tem o apoio de apenas 35% dos bolsonaristas. Outros 63% são contra.

A pesquisa foi feita com 2.006 pessoas em 130 municípios brasileiros nos dias 4 e 5 de julho. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

O levantamento mostra que 56% são contra o plano de aumentar de 20 para 40 o limite de pontos da carteira de habilitação. Apenas 41% são a favor. Entre os eleitores de Bolsonaro, a mudança tem o apoio de 52%. Outros 45% são contra.

Entre os eleitores de Fernando Haddad (PT), a alteração tem rejeição de 71%. São a favor da proposta 26%.

A pesquisa também indica que 41% acham que as medidas da nova gestão tornarão o trânsito mais violento. Para 36%, a situação continuará igual. Outros 20% afirmam que as medidas proporcionarão 1 trânsito mais seguro.

PROJETO ENTREGUE POR BOLSONARO

O projeto de lei que muda as regras para obtenção e suspensão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) foi entregue à Câmara em 4 de junho por Bolsonaro.

“Esse é um projeto de lei que nós consideramos importante, que atinge e gera aflição na vida de milhões de brasileiros, principalmente daqueles que vivem do transporte, o taxista, o caminhoneiro”, disse o presidente no dia da entrega à Câmara.

“Nós temos uma pauta extensa de agendas de mudanças macroeconômicas que estamos tocando, como a Reforma da Previdência, daqui a pouco a tributária, mas essa agenda que atinge diretamente o dia a dia do trabalhador brasileiro também é importante que faça parte da nossa pauta”, completou.

Eis alguns pontos do PL:

  • prorrogação da validade da CNH de 5 para 10 anos ou, no caso de idosos, de 2 e meio para 5 anos;
  • aumento do total de pontos de infração de 20 para 40 pontos, antes da suspensão da carteira;
  • fim da exigência de exame toxicológico para motoristas profissionais;
  • veículos em circulação continuam obrigados a manter luz baixa durante em dia, mas só em rodovia de faixa simples. No caso de descumprimento, deixam de receber multas, embora continue o acréscimo de pontos de infração;
  • fim da exigência de cadeirinha para crianças nos veículos;
  • ampliação das possibilidades de sanção, com paralela redução das punições, quanto à obrigação de capacete por motoristas;
  • possibilidade do Conatran (Conselho Nacional de Trânsito) liberar bicicletas elétricas sem necessidade de registro, licenciamento e emplacamento para circulação nas vias.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *