Deputada Lauriete anuncia divórcio com ex-senador Magno Malta

Recém-empossada deputada federal, a cantora Lauriete anunciou nesta terça-feira (12) a separação do marido e ex-senador Magno Malta. A informação foi divulgada pela assessoria da deputada ao site Política Capixaba.

Casados há cinco anos, Lauriete e Magno moravam em casas separadas desde agosto do ano passado. Segundo a deputada, a separação aconteceu “em virtude do relacionamento ter ferido valores importantes” para ela.


“Até agora me mantive em silêncio porque prefiro não expor a minha vida pessoal em hipótese alguma. Quem me conhece sabe da minha discrição em relação a isso. Mas, diante das especulações e histórias atravessadas e inventadas, me senti na obrigação de dar uma resposta à tudo isso”, disse.

No ano passado, a separação dos dois chegou a ser especulada por alguns sites de notícias, fato que foi – diversas vezes – negado pela assessoria dos dois e pelo (agora) ex-casal.

Leia a entrevista com a deputada:

1) A sra. se separou de Magno Malta?

Até agora me mantive em silêncio porque prefiro não expor a minha vida pessoal em hipótese alguma. Quem me conhece sabe da minha discrição em relação a isso. Mas, diante das especulações e histórias atravessadas e inventadas, me senti na obrigação de dar uma resposta à tudo isso.

Pra começar, o meu casamento com Magno nunca foi fake. Estamos sim, morando em casas separadas desde agosto de 2018, quando aconteceu a separação em virtude do relacionamento ter ferido valores importantes pra mim.

Estou dando entrada na Vara de Família com pedido de divórcio. Garanto que não era o que eu queria, mas a vida segue o seu rumo.

Tenho uma gratidão enorme ao Magno pelas boas experiências vivenciadas juntos.

2) (se sim). Qual a consequência dessa separação para sua vida política?

Não costumo misturar as coisas. A vida pessoal, profissional e política, cada qual tem o seu tempo e o seu espaço.

Estou determinada a realizar um mandato com minha capacidade própria. Serei transparente, verdadeira e quero trabalhar muito, principalmente nas causas humanitárias.

3) Em que este seu mandato vai ser diferente do seu primeiro, há oito anos?

Foi a primeira experiência nas urnas e na política. Procurei fazer o dever de casa ouvindo políticos experientes. A perseverança foi minha marca. Agora, estou motivada para focar no desenvolvimento dos municípios capixabas. Quero abrir as portas dos Ministérios e outros órgãos para atender as lideranças capixabas. Por princípio, não abandonarei as pautas de costumes, mas o nosso planejamento é ser aliada do Presidente Bolsonaro e do Governador Renato Casagrande, para atender ao máximo o povo do meu Estado, sem esquecer da Reforma da Previdência, do Projeto anticrime, do fim do foro privilegiado e outras importantes pautas nacionais.

4) A sra. pretende se afastar das tradicionais pautas da bancada religiosa, como o combate ao aborto, às drogas e ao casamento gay?

Essas pautas fazem parte da minha convicção, então sempre estarei lutando em favor vida e dos princípios cristãos.

Como já disse, as principais pautas de costumes, em defesa das crianças, da família e da mulher serão acompanhadas com toda minha atenção. Vivemos também o momento de crise econômica que exige foco nos municípios, em conseguir apoio político e recursos para construção de pontes, estradas, comunicação digital, escolas e postos de saúde em todo o Espírito Santo. É outro tempo e o anseio popular é diferente.

5) Pretende ser candidata a prefeito? De qual cidade?

Fui eleita deputada federal e vou honrar o apoio do povo capixaba. Não pensei nesta opção e acho que é cedo.

6) Qual é sua posição política em relação a Bolsonaro e ao governador Casagrande?

Posição de aliada. Bolsonaro é amigo, fruto da vontade democrática e tem uma boa equipe. Renato Casagrande é do bem, tem capacidade, experiência e também uma excelente equipe. Quem ganha com esta aliança é o Espírito Santo.

7) Acha que o presidente traiu Magno Malta ao não convidar o ex-senador para o governo federal?

Vimos de perto o quanto Magno trabalhou na campanha de Bolsonaro. O motivo de ele não ser convidado para fazer parte do governo federal eu desconheço.
Acho que é uma pergunta para ser feita ao próprio Magno.

8) A sra. é a favor da reforma da Previdência e da instituição de uma idade mínima para se aposentar?

A Reforma da Previdência não pode ser mais uma meia sola. É necessário profundas transformações, mas com a participação do povo, promovendo debates e audiências públicas. A idade mínima tem que ser debatida com as categorias.

9) Em quais Comissões na Câmara a sra. pretende atuar?

Estou na Comissão de Direitos Humanos e Minoria e na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Aproveito para anunciar minha proposta de visitar o mais breve possível as vítimas de Brumadinho, Minas Gerais. É o momento dos direitos humanos rever valores e atender realmente as vítimas de crimes humanitários.

10) Com um mês de governo, qual a sua avaliação dos governos federal e estadual?

Muito cedo para uma avaliação mais profunda. Bolsonaro e Casagrande estão mostrando capacidade para planejamento, montar equipe e ambos tem pautas voltadas para resgatar o Poder Público, que viveu momentos dramáticos e de falta de credibilidade.


O Outro lado

Tribuna Online procurou o ex-senador Magno Malta para comentar a entrevista, mas, até o momento, não obteve resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *